Séries

Agora veterana, House of Cards redefiniu a forma de ver séries

Há quatro anos o serviço de streaming (até então meio desconhecido) Netflix lançava a série House of Cards, que definiria e transformaria a nossa forma de como assistir TV. Um risco tomado pelo Netflix que acabou dando certo e que deu à empresa logo em seu primeiro ano o retorno necessário para investir ainda mais em conteúdo original – e fez também com que os seus concorrentes, como Amazon e YouTube, também produzissem conteúdo original para as suas respectivas plataformas.

Com a quarta temporada prestes a estrear no dia 4 de março (sexta-feira), House of Cards não é mais nenhuma novata. Hoje veterana, o programa criado por Beau Willimon, produzido por David Fincher e Kevin Spacey, que também encabeça o elenco principal, foi o primeiro seriado indicado ao Emmy de Melhor Série sem que tivesse sido exibido na TV convencional. Se House of Cards ainda não conseguiu ganhar o prêmio principal, o ator Kevin Spacey colecionou prêmios nessa temporada de premiações.

Mas além disso, a série também foi responsável por abrir caminho para que outros seriados fossem produzidos dentro da Netflix e, assim, também foram indicados a prêmios. A mais premiada é Orange is the new Black, criada por Jenji Kohan (Weeds), que não só vem sendo indicada regularmente a prêmios importantes como está vencendo a maioria deles.

Uma pesquisa realizada pelo Citigroup, tendo como base dados do Google Trends, mostra que House of Cards aumenta a sua popularidade em ao menos 76% ano após ano, o que contribui também para o crescimento da Netflix, que é de 15% ano após ano. Além disso, a série é considerada como um importante fator para alcançar novos assinantes (quando a série estreou a Netflix pulou de 24 milhões de assinantes para 57 milhões) e também na retenção dos que já existem, tanto nos Estados Unidos quanto também no exterior. A série atraiu até mesmo o atual presidente dos EUA, Barack Obama, que parece ser um viciado no programa assim como nós.

Quarta Temporada

Nesta sexta-feira, House of Cards retorna já como uma série veterana e importante para os planos da Netflix em continuar se desenvolvendo. A quarta temporada será como um divisor de águas para a série. Com a saída já anunciada do criador e showrunner, Beau Willimon, que não queria que o programa fosse renovado para uma 5ª temporada, o quarto ano é o último que o terá como chefe.

E ao contrário do que aconteceu na terceira temporada, quando o casamento de Frank e Claire Underwood esteve sempre no centro da narrativa, o quarto ano voltará a mostrar as intrigas políticas que tanto conquistaram o público nas duas primeiras temporadas.

Como normalmente acontece, House of Cards leva para a série assuntos políticos que também estão em discussão no momento. Foi assim na temporada anterior com a crise diplomática com a Rússia, que envolvia Israel e Palestina, e o início das primárias. Agora, House of Cards mostrará as Eleições e a corrida presidencial para chegar à Casa Branca – um assunto que hoje mexe com os Estados Unidos porque o país está em período de campanha, que pode ser considerada tão intrigante quanto os acontecimentos da quarta temporada prometem ser.

House Of Cards retorna nesta sexta-feira (4) à Netflix, que disponibilizará todos os treze episódios.

Enquanto a série não volta, confira o trailer abaixo:

Crédito da Imagem: Reprodução/Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *