Séries

Cinco séries para assistir na Spring TV

A primavera lá nos Estados Unidos (outono aqui no Brasil) começou alguns dias. E o que isso quer dizer? Adivinhou se você pensou em mais boas séries para assistirmos. A Spring TV, como vem sendo chamado esse período da mesma forma que existe a Fall TV, tem sido marcada pelas estreias de séries com maior prestígio, mais aguardadas pela crítica e que despertam inclusive a atenção das grandes premiações. Neste ano, além dos retornos de Prison Break, Fargo, The Leftovers, Master of None, House of Cards e tantas outras, tem algumas séries novas que prometem bastante.

Para te ajudar a escolher o que assistir no meio de tanta coisa, fiz uma lista com cinco séries que já vão engrossar a minha lista de programas que assisto. Clique para continuar lendo e saiba quais são as séries:

1) American Gods

A série é uma adaptação do aclamado livro escrito por Neil Gaiman e será exibida pelo canal Starz (aquele que fez Boss e hoje faz sucesso com Outlander e The Girlfriend Experience). American Gods vem sendo tratada como uma das estreias mais esperadas dessa temporada. O primeiro episódio foi exibido há algumas semanas no festival South By Southwest, mas os críticos estão impossibilitados de comentarem até que semanas antes da estreia, que será no dia 30 de abril.

Na história escrita por Neil Gaiman, e dirigida e escrita por Bryan Fuller (Pushing Daisies e Hannibal) e Michael Green (Smallville), entidades divinas que são adoradas ganham vida e seus poderes variam de acordo com esse nível de adoradores que têm. Odin, por exemplo, está enfraquecido enquanto que a Internet e a Mídia são as principais entidades. A disputa entre esses deuses está prestes a colocar esse mundo, ora moderno ora antigo, em conflito.

American Gods estreia também no Brasil no dia 1º de maio no serviço de streaming Amazon Prime. Assista o trailer abaixo:


Foto: Reprodução

2) The Handmaid’s Tale

Essa é mais uma das séries mais aguardadas dessa Spring TV. The Handmaid’s Tale é baseado no livro escrito por Margaret Atwood (que no Brasil ganhou o nome de O Canto de Aia, lançado em 1985) e acompanha a trajetória de Offred, interpretada por Elizabeth Moss (Mad Men e Top of the Lake), vivendo em um futuro distópico e sendo uma das últimas mulheres férteis a viver numa sociedade teocrática e totalitária.

Semelhante às castas, cada um nessa sociedade ocupa um lugar e precisa desempenhar uma função específica. No caso de Offred, ela serve apenas para satisfazer os desejos sexuais das classes superiores e continuar procriando a espécie e manter os níveis demográficos. Toda essa nova ordem social acontece após a morte do presidente dos Estados Unidos e a ascensão ao poder de uma facção católica, transformando o país em República de Gilead e seguindo os costumes e ordens do Antigo Testamento.

The Handmaid’s Tale estreia no dia 26 de abril, no serviço de streaming Hulu, e terá a 1ª temporada com dez episódios. Além de Elizabeth Moss, o elenco conta também com Alexis Bledel (Gilmore Girls), Samira Wiley (Orange is the new Black), Yvone Strahovski (Chuck, Dexter), Joseph Fiennes e Max Minghella.

Assista o trailer:


Foto: Reprodução

3) Great News

Comédia não é um dos meus gêneros favoritos e até por isso comento pouco sobre elas aqui no Goodfellas. Nessa Spring TV, no entanto, darei uma chance para Great News, nova comédia do canal NBC com a assinatura de ninguém menos que Tina Fey – que produz o programa com o antigo parceiro de 30 Rock, Robert Carlock.

A história acompanha Katie, uma produtora de um programa de notícias noturno, que começa a enfrentar alguns conflitos no trabalho quando sua mãe passa a estagiar no mesmo canal onde ela trabalha. E o que antes parecia o início de um pesadelo, a presença da sua mãe no seu local de trabalho vai ter um impacto positivo no seu desenvolvimento pessoal.

Se 30 Rock era sobre os bastidores da produção de um programa de comédia, como o Saturday Night Live, é como se agora a gente fosse assistir uma sátira de The Newsroom. E se tem Tina Fey a gente está completamente dentro. Great News foi criada por Tracy Wigfield, produtora de The Mindy Project, e estreia no dia 25 de abril.

Asssista o trailer:


Foto: Divulgação/Netflix

4) 13 Reasons Why

A série estreia na Netflix nesta sexta-feira (31 de março) e tenta desvendar o mistério (em treze episódios) do porquê Hannah Baker tirou a sua própria vida. Baseado no best-seller escrito por Jay Asher (mais de duas milhões de cópias vendidas em todo o mundo), o programa tem início quando o colega de classe de Hannah descobre fitas gravadas por ela e que explicam as treze razões que a levaram a cometer suicídio.

13 Reasons Why tem também produção da cantora Selena Gomez, que primeiramente tinha a ideia de viver Hannah em uma adaptação para o cinema e depois acabou desistindo do projeto porque, segundo ela, não estava passando por um bom momento pessoal, a série busca discutir com honestidade o suicídio adolescente. Foi o que contou o criador da série, Brian Yorkey, nesta entrevista ao NY Times de que 13 Reasons Why “assim como foi o livro, este programa também poderá salvar vidas”.

Segundo uma pesquisa recente da Organização Mundial de Saúde, o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo. É um grave problema que 13 Reasons Why pretende debater e que torna a estreia da série tão importante e também urgente.

Assista o trailer:


Foto: Divulgação/Netflix

5) Dear White People

A última série que recomendo e que está na minha lista é Dear White People, mais uma produção da Netflix. Baseado no filme Cara Gente Branca (2014), dirigido e escrito por Justin Simien e que venceu o prêmio de Melhor Primeiro Roteiro no Independent Spirit Awards, Dear White People está sendo adaptada por ele e recebeu uma enxurrada de críticas por causa de um vídeo de 30 segundos divulgado no mês passado (veja abaixo), que traz uma jovem negra dizendo que as pessoas brancas devem evitar ações de origem racista.

Não demorou para que os brancos descontentes se retirassem do serviço e começasse a criticar a Netflix e a série Dear White People, a acusando de promover o “racismo contra brancos”. Pois é, era só o que faltava. Um ex-redator do BuzzFeed, e que hoje se auto-intitula porta-voz da “alt-right” (grupo de militantes de extrema direita), pediu o boicote à série. Típico.

Vamos ao que interessa e abafar essas discussões e pedidos? O filme foi premiado no Festival de Sundance em 2014, ganhou prêmios ao longo daquele ano em outros festivais, e acompanha um grupo de estudantes negros de origem humilde de uma universidade, formada em sua maioria por jovens brancos e ricos. Na série, que terá um total de dez episódios, a revolta dos estudantes afro-americanos começam quando os brancos começam a usar fantasias de negros para o Halloween ou a praticarem bullying sobre a cor da pele deles.

Dear White People é uma série tão urgente quanto 13 Reasons Why. Basta ler os comentários críticos e raivosos que o vídeo ganhou no YouTube. Justamente em um momento que essa supremacia branca ascendeu ao poder nos Estados Unidos, e temos visto também a extrema-direita ganhando cada vez mais espaço aqui no Brasil (e em outros países ao redor do mundo), a série de Justin Simien é necessária para que nada disso seja visto com naturalidade ou passe despercebido.

Assista o vídeo:

[Crédito da Imagem de Capa: Reprodução]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *