O XII Panorama Internacional Coisa de Cinema vai ser realizado em Salvador e Cachoeira (Recôncavo Baiano) entre os dias 9 e 16 de novembro. Pouco a pouco a organização do festival vai divulgando os filmes que estarão na Competitiva Nacional e outros (normalmente clássicos, um novo artigo será publicado falando sobre os escolhidos em breve) que serão exibidos fora da Competitiva.

No total foram oito longas-metragens selecionados e 16 curtas, entre mais de mil produções inscritas no festival. Em entrevista ao jornal Correio, o cineasta baiano Cláudio Marques disse que o festival vai dedicar cada vez mais espaço ao cinema nacional, apesar de ter tido a opção de trazer filmes premiados nos grandes festivais.

Conheça os oito longas-metragens selecionados abaixo:

Cinema Novo

Documentário dirigido por Eryk Rocha (filho de Glauber Rocha) e vencedor do prêmio Olho de Ouro no Festival de Cannes de 2016. O júri do prêmio, presidido pelo cineasta italiano Gianfranco Rosi (vencedor do Urso de Ouro em Berlim com o documentário Fogo no Mar) caracterizou o filme como “um manifesto sobre a vigência de um movimento cinematográfico quase esquecido dos anos 1960”.

O documentário traz depoimentos de seus principais expoentes como Nelson Pereira do Santos, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Ruy Guerra, Walter Lima Jr., Paulo César Saraceni e Glauber Rocha.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

A Cidade Onde Envelheço

O filme acompanha a vida de uma jovem portuguesa que decide deixar o país para morar no Brasil, mais especificamente na cidade de Belo Horizonte. A produção foi premiada no Festival de Brasília recentemente nas categorias Melhor Longa-Metragem, Melhor Direção, Melhor Atriz (Elizabeth Francisca e Francisca Manuel) e Ator Coadjuvante (Wederson Neguinho).

A Cidade Onde Envelheço também foi exibido em fevereiro no Festival Internacional de Rotterdam, na Holanda, onde competiu na mostra Tiger Award. Veja o trailer abaixo:

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Jonas e o Circo sem Lona

Filme baiano exibido no Festival de Tribeca desse ano dirigido pela cineasta baiana Paula Gomes, que acompanha a jornada do menino Jonas, de 13 anos, que no quintal de casa na periferia de Salvador mantém um pequeno circo. Com os seus amigos Jonas treina para apresentar-se em um espetáculo, cobrando ingressos baratos das crianças que moram ali por perto.

Porém, à medida que o tempo e o seu sonho vão se tornando cada vez mais distante, Jonas é confrontado pela sua mãe e avó de que é preciso se concentrar nos estudos. Ao mesmo tempo, chegando na adolescência, outros desafios e escolhas começam a aparecer no horizonte do garoto.

Jonas e o Circo sem Lona vem percorrendo alguns festivais importantes (em Nova Orleans e também em Rotterdam), além também de ter sido exibido recentemente na Inglaterra, Uruguai, Coréia do Sul, entre outros país nesse segundo semestre

Assista o trailer abaixo:

ezequiel
Imagem: Divulgação

O Estranho Caso de Ezequiel

Sexto longa do cineasta cearense Guto Parente, o filme acompanha o solitário Ezequiel, que perdeu a mulher e após isso encontra-se resignado no silêncio. No entanto, Ezequiel presencia um evento que transformará a sua vida para sempre.

Assista o trailer:

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Elon Não Acredita na Morte

Exibido no Festival de Brasília desse ano, Elon Não Acredita na Morte é dirigido por Ricardo Alves Jr. O filme é sobre Elon, que se aprofunda em uma jornada por todos os cantos da cidade buscando compreender o desaparecimento da sua esposa, Madalena.

O personagem vivido pelo ator Rômulo Braga, muito elogiado durante a exibição do filme em Brasília, refaz as rotas diárias da mulher e visita lugares sombrios da cidade em busca de respostas, mas tudo que encontra são uma série de mal-entendidos e estranhos encontros.

Elon Não Acredita na Morte também está entre os selecionados da 40ª Mostra de São Paulo, que começa na próxima semana.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

O Último Trago

Mais um filme exibido no Festival de Brasília e que também fará parte da Mostra Competitiva do Panorama Coisa de Cinema. O Último Trago é sobre quatro amigos na faixa dos 80 anos e jogando conversa fora no bar, um deles (Pedro) faz um último desejo que deveria ser cumprido após a sua morte: entregar uns papéis a Dolores Hidalgo. O problema todo nisso é que os outros amigos não sabem de quem se trata, muito menos como encontrá-la.

Quando Pedro morre, os três partem em uma jornada a pé e de canoa, ignorando as reclamações dos familiares e as limitações impostas pela idade, a fim de encontrarem a tal mulher e honrarem o último desejo do amigo.

O Último Trago é o quinto longa dirigido e escrito de forma coletiva por Luiz e Ricardo Pretti e Pedro Diogenes. Assista o trailer:

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Um Casamento

Um Casamento é o primeiro longa-metragem dirigido por Mônica Simões, artista baiana que soma já 35 anos de carreira como artista plástica, fotógrafa e videomaker. O documentário narra a trajetória do casamento na Bahia dos anos 50 contada através do olhar de Marta Moniz e Ruy Simões, pais de Mônica.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Rifle

Filmado pelo diretor Davi Pretto no Rio Grande do Sul, Rifle acompanha Dione, um jovem com hábitos estranhos que vive isolado com sua família em uma região rual e remota. Quando um rico proprietário tenta comprar a pequena propriedade onde ele e sua família vivem, Dione começa a carregar consigo sempre um rifle para proteger o território em que vive.

Realizado com atores não profissionais encontrados na mesma área em que foram realizadas as filmagens do longa-metragem, Rifle é o segundo filme dirigido por Pretto.

[Crédito da Imagem: Divulgação]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *