Cinema

Diretor de O Regresso admite ter tomado decisões “ruins e irresponsáveis” nas filmagens

A esse ponto da temporada de premiações, já é possível saber grande parte das histórias que cercam cada filme indicado. O mais comentado de todos tem sido, obviamente, O Regresso (leia aqui a resenha). E não apenas pela “quase certeza” do primeiro Oscar para Leonardo DiCaprio, mas também pelas condições extremas que o diretor mexicano Alejandro González Iñárritu filmou esse novo filme, tendo a produção sido classificada como “um verdadeiro inferno” por parte da equipe.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o diretor admitiu que tomou decisões “ruins e irresponsáveis” durante as filmagens. Determinado a filmar usando apenas luz natural e com mínima influência de recursos CGI, Iñárritu filmou O Regresso em temperaturas abaixo de zero – em um determinado momento, os termômetros chegaram a apontar -25 ºC e lá estavam eles filmando em regiões isoladas e remotas do Canadá.

Uma parte da equipe do filme, que começou a denunciar as condições extremas de filmagem após a produção ganhar os holofotes, decidiu largar o projeto no meio do caminho por conta das condições brutais, enquanto que alguns atores tiveram que regravar algumas cenas por conta dos múltiplos atrasos que a produção teve.

“Eu diria que o filme é um feliz acidente de decisões muito ruins. É o resultado de decisões irresponsáveis que precisei tomar. Mas a gente precisa disso às vezes porque, senão, com certeza não conseguiríamos embarcar nos projetos. Quero dizer, eu seria um cara qualquer de escritório. Eu não sou idiota, eu sabia das dificuldades e agora sinto o quanto longe eu fui. Mas eu estou feliz por ter tomado essas decisões irresponsáveis, apesar de agora me sentir aliviado porque tudo já passou. É como você escalar o Everest e ninguém morrer, mas estando tão perto da morte”, conta.

Em uma outra entrevista à revista Rolling Stone, Iñarritu disse que a equipe sabia exatamente no que eles estavam se metendo quando assinaram o contrato para participar de O Regresso – e que isso só comprova que ele estava certo sobre a sua decisão de ter filmado usando métodos tradicionais.

“Ninguém foi enganado. Alguns deles reclamaram, eu entendo. Foi difícil para cada um de nós. Mas 99,99% da equipe ficou e isso nos deixa muito orgulhosos. Tem 300 empresas na empresa. É claro que alguns foram demitidos. E outros ficaram e amaram a experiência. Isso realmente merece ser discutido? Acredito que não. O filme já está aí e agora as pessoas entendem que cada dólar gasto e cada decisão tomada valeu a pena”, conclui.

O Regresso é favorito em vencer o Oscar de Melhor Filme, assim como Leonardo DiCaprio na categoria de Melhor Ator (o ator ganhou todas as premiações até aqui) e o diretor Alejandro González Iñárritu se tornou o favorito a vencer como Melhor Diretor depois de também ter vencido o prêmio no Sindicato dos Diretores. Emmanuel Lubezki, diretor de Fotografia e parceiro de Iñarritu nos filmes O Regresso e Birdman, pode ganhar a terceira estatueta consecutiva (ele ganhou por Gravidade e Birdman nos últimos dois anos).

A cerimônia de entrega dos Oscars acontece no dia 28 de fevereiro. O Trívia fará uma cobertura especial durante todo o dia. Acompanhe tudo o que já publicamos sobre a premiação clicando aqui.

Crédito da Imagem: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *