Séries

Downton Abbey celebra o Natal e se despede da TV

Downton Abbey é uma dessas séries preciosas que não são exibidas na TV assim com muita regularidade. É difícil não colocá-la no hall das grandes séries como Friends, Sopranos, Breaking Bad, Mad Men, entre algumas outras. São shows que, não importa quando foram exibidos, marcaram história na televisão e já são considerados clássicos, praticamente inesquecíveis à nossa memória.

Foi justamente com o intuito de preservar a sua memória que Downton Abbey celebrou o Natal e o Ano Novo, se despedindo para sempre da TV. Cada momento desse episódio especial esteve, de alguma forma, intercalado com o passado, com os personagens sempre relembrando algum momento importante que a série narrou. Para nós, espectadores, soa um pouco nostálgico todas essas lembranças por estarmos nos despedindo de uma das grandes séries dos últimos anos. Mas também nos deixa saudosistas por ter assistido e visto cada um desses personagens passarem por momentos de alegria, tristeza, dor e esperança.

E se tínhamos tantas perguntas sobre o que Julian Fellowes (roteirista e criador da série) iria fazer para resolver algumas tramas, isso foi logo respondido “de cara”: não seria um capítulo para colocar mais drama, mas sim para dar um final justo, digno e feliz para a jornada desses personagens. E por tanto admirarmos e simpatizarmos com eles, Fellowes sabia que não poderia deixá-los sem qualquer final que não fosse um feliz ou, ao menos, com aquele fio de esperança de que eles terão uma boa vida e que farão tudo que puderem para viverem dessa forma.

Mesmo que no início desse especial, por exemplo, Fellowes se preocupe em colocá-los em alguma posição incômoda – apesar de sabermos que este não será o destino deles pois cada um tem um espaço reservado para viverem uma vida feliz e com muitas realizações. Durante os seis anos, Fellowes foi cuidadoso ao tratar dos mais variados temas, sempre colocando à série muito progressista em relação ao tempo o qual se passava.

Vimos como isso foi importante também nesse especial de Natal: o início da independência da mulher (em um diálogo, Branson diz que “aquela família se orgulhava por mulheres fortes”), a narrativa envolvente entre os ilustres moradores de Downton e os empregados, o progresso de novas tecnologias que foram sendo descobertas na época, enfim, uma crônica do cotidiano da vida pré-burguesa da Inglaterra, que começa com o acidente do Titanic, em 1912, e termina no ano de 1925, brindando e esperando o futuro promissor que estava por vir.

Assim, nos despedimos de Downton Abbey, mas com a certeza de que esta será uma dessas séries inesquecíveis desses nossos tempos que vivemos.

Crédito da Imagem: Divulgação/ITV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *