Séries

Em final de temporada, “Game of Thrones” define o futuro da sua narrativa

Quando a 6ª temporada de Game of Thrones começou a ser exibida pela HBO há alguns meses, sabia-se que os criadores D.B Weiss e David Benioff estariam “por conta própria”. Com os livros atrasados pelo escritor George R.R Martin, que vem prometendo há algum tempo finalizar a obra, os roteiristas resolveram seguir em frente e tomaram algumas decisões que talvez não iremos ler nos livros. E por alguns episódios ficou claro que existia certa indecisão sobre qual caminho levar a narrativa agora que o fim da série está cada vez mais próximo – e a HBO deve se preocupar com isso (mas isso é uma outra discussão que prometemos entrar com mais tempo).

No último domingo (26), a HBO exibiu o final da sexta temporada e finalmente definiu o futuro da narrativa da série. Claro, muitas reviravoltas ainda deverão ser contadas e mudar radicalmente a teoria de muitos fãs aí afora. No entanto, “The Winds of Winter” (título do capítulo) dá o tom sombrio e de resolução para algumas tramas que se prolongavam há algumas temporadas.

Personagens principais sofreram testes importantes para chegarem onde chegaram. Mas agora todos eles estão em Westeros – enquanto alguns estão a caminho, finalmente. Não é mais como se o inverno estivesse chegando. Ele já chegou. E a promessa de uma guerra que se aproxima rapidamente tendo cada um feito as suas alianças na tentativa de sobrevivência e assegurar um lugar no novo reino que será forçado a se formar.

Foto: Reprodução/HBO
Foto: Reprodução/HBO

Apesar de alguns deslizes cometidos mais pela falta de tempo para tratar adequadamente do assunto do que necessariamente por um descuido, a exemplo da avó Tyrell já bem recuperada e fazendo rapidamente uma aliança para se vingar do ato de Cersei Lannister, Game of Thrones claramente não queria perder tempo. A sequência mais longa foi justamente o desfecho que Cersei dá para a capital dos Sete Reinos. A partir daí os fatos se sucedem fazendo a história avançar, eliminando personagens que mais atrapalhavam do que qualquer outra coisa e deixando apenas aqueles que realmente vão seguir até a batalha final.

Temporada ambiciosa

A sexta temporada de Game of Thrones também foi uma das mais grandiosas. Não temos informação quanto ao orçamento de cada episódio, mas desde os eventos do Casamento Vermelho que não temos sequências tão tensas de batalhas – e também com filmagens tão bem cuidadosas. A Batalha dos Bastardos, entre os exércitos de Ramsay Bolton e Jon Snow e que foi a guerra que movimentou as peças deste tabuleiro nesta sexta temporada, foi filmada durante 25 dias. E foi uma sequência grandiosa digna daquelas que normalmente assistimos em bons filmes de guerra.

Mas também foi o episódio mais assistido de Game of Thrones no momento, quando a série bateu o seu próprio recorde e teve mais de 23 milhões de telespectadores somente nos Estados Unidos.

Ainda vale a pena destacar as sequências de ação envolvendo os dragões de Daenerys. Quase sempre “apagados” na tentativa de conter gastos, nesta sexta temporada assistimos a destruição que eles são capazes de fazer quando reduzem o exército dos auto-intitulados lordes de Meeren a cinzas. Certamente todas essas sequências geram uma expectativa para o que deverá acontecer a partir de agora na série, com a guerra iminente acontecendo em vários front de batalha.

Foto: Reprodução/HBO
Foto: Reprodução/HBO

Poder às mulheres

Game of Thrones teve uma sexta temporada que com certeza foi uma das melhores da série até este ano por boa parte dos elementos já comentados neste texto anteriormente. Mas uma das coisas mais importantes que Game of Thrones conseguiu fazer foi resolver as controvérsias da série em relação à nudez das mulheres e o tratamento dado de uma maneira geral às personagens femininas. Se a sangria continuou rolando solta, pode-se dizer que algo mudou. E para melhor.

E isso aconteceu muito devido às acumuladas críticas que recebeu lá no início da quinta temporada, quando Sansa Stark foi estuprada por Ramsay Bolton. A nudez explorada gratuitamente deu lugar à força das mulheres que conquistaram o poder. É o caso da mesma Sansa Stark, que ganhou influência e se tornou muito mais importante do que era; Cersei Lannister ocupa agora posição de destaque como a Rainha de Westeros e dos Sete Reinos; e Daenerys conquistou o respeito do seu povo e a grande líder que move um exército inteiro para lhe dar o tão desejado trono.

Movimentando a maior parte da trama com articulações que resultaram em desfechos importantes, as mulheres nesta sexta temporada foram as responsáveis por pavimentarem o caminho que Game of Thrones agora percorrerá rumo a uma guerra tão aguardada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *