‘Game Of Thrones’ resolve (alguns) mistérios em final de temporada explosivo

Game of Thrones apresentou alguns deslizes nessa sétima temporada, que abre espaço para o fim dessa jornada (possivelmente em 2019, a HBO ainda não confirmou). Difícil saber se por culpa do autor George R.R Martin ainda não ter finalizado os livros, fato é que David Benioff e D.B Weiss, os roteiristas principais de Game of Thrones, se colocaram em enrascadas as quais eles próprios precisaram quebrar algumas dinâmicas em detrimento de uma temporada mais rápida. Mesmo se atropelando na própria história, e às vezes até pecando ao cair em momentos que pareciam ter saído de alguma novela mexicana, Game of Thrones entregou um final de temporada explosivo – ainda que previsível e óbvio.

[ATENÇÃO: SPOILERS A PARTIR DAQUI]

Por que previsível e óbvio? Ora, tava na cara para qual fim serviria o dragão recém-adquirido pelo Rei da Noite, quando o transformou em sua arma após abatê-lo e deixar Daenerys e companhia limitada totalmente perplexos. A Muralha não resistiria por mais tempo e, para a guerra finalmente acontecer (inclusive as alianças que estão sendo formadas para esse conflito), a Muralha precisava ser destruída. Game of Thrones demorou quase uma hora e meia para mostrar o que já esperávamos que deveria acontecer, preenchendo o restante da season finale com cenas descartáveis e que não merecem ser lembradas.

Foto: Divulgação/HBO

Mas a revelação mais importante do episódio foi sobre a verdadeira identidade de Jon Snow. Ele é filho de Rhaegar Targaryen (irmão mais velho de Daenerys) com Lyanna Stark, que morre durante o parto e pede ao irmão, Ned Stark, que cuide da criança. Não acompanho muito as teorias sobre a série e assisto com olhos de quem não é fã, isto é, alguém que vê qualidades mas que também pensa que Game of Thrones é uma série superestimada. Mas fiquei surpreendido (talvez em choque seja uma expressão que se adeque melhor) com a revelação. E faz todo sentido, considerando que a série deu inúmeras pistas de que Jon Snow (seu nome verdadeiro é Aegon Targaryen) não foi fruto de um momento de fraqueza e traição de Ned, que na verdade lidou com as consequências de uma promessa feita à irmã.

E por outro lado traz à tona que toda a insurreição de Robert Baratheon para matar o Rei Louco e reivindicar o trono foi baseada em uma mentira. É curioso como a montagem dessa sequência é feita nesse episódio porque, à medida que Bran Stark, o Corvo de Três Olhos, confirma a verdadeira identidade de Jon Snow, ele e Daenerys acabam juntos na cama e mais uma vez a questão do incesto volta à série. Cersei Lannister já não se importa mais com essa polêmica: agora como Rainha, ela decidiu que faz o quer e ninguém tem nada a ver com isso.

Mas duas cenas chamam atenção em meio a essa novela: 1) o olhar de Tyrion ao ver que Jon Snow e Daenerys estavam juntos (num primeiro momento achei que poderia ser Jorah Mormont, porque a série tem dado pistas de seus ciúmes ao ver a aproximação de Jon e Daenerys) e isso nos faz questionar o que está deixando a Mão da Rainha mais preocupado, se é o relacionamento em si ou fato dele também conhecer a verdade por trás da história (ou o que ele está planejando); e 2) o futuro incerto de Jaime e Cersei Lannister, cada vez mais distantes e divididos. Cersei está convicta do seu plano de traição e pretende usar a trégua feita para combater o exército dos Caminhantes Bancos como uma oportunidade de destruir os inimigos que a querem tirar do trono, enquanto que Jaime pretende cumprir a promessa de ajudar o Norte e a própria Daenerys. Ou seja: isso não vai acabar bem.

Foto: Divulgação/HBO

A vingança colocada em prática

Tudo bem que assistir Game of Thrones é também acompanhar essas novelas amorosas (todas elas cada vez mais insanas) e o desenrolar de tramas que vão resolvendo mistérios e entregando a verdadeira identidade dos principais personagens. Mas uma das coisas que torço quando assisto a série é pela vingança dos Starks. A família teve o patriarca decapitado, metade dos membros mortos no Casamento Vermelho e tantas outras atrocidades que foram cometidas. Estava na hora de alguma vitória.

Por isso a morte de Lorde Baelish (o Mindinho) foi talvez um dos melhores momentos do episódio, justamente quando ele achou que mais uma vez escaparia. Unidas, Arya e Sansa Stark poderão ajudar uma a outra e é isso que torço para ver cada vez mais por tudo que a série as obrigou a passar nessas sete temporadas.

Foto: Divulgação/HBO

Agora só em 2019

Não está confirmado, mas tudo indica que a oitava e última temporada só deverá estrear em 2019, também com episódios mais longos com a mesma duração desta season finale. Apesar de revelar muitos mistérios neste final, Game of Thrones ainda tem algumas pontas soltas para conectar ao mesmo tempo que a guerra começa a se tornar como uma parte mais importante dos episódios.

Entretanto, o que ainda faltamos descobrir sobre Tyrion Lannister e quais são as suas verdadeiras motivações nesta guerra? Sobre Daenerys, ela diz a Jon Snow que não pode ter filho, mas será que essa é uma completa verdade? Estou cada vez mais inclinado a dizer que não – e não seria a primeira vez que Game of Thrones abriria alguma “exceção”. Do outro lado, Bran e Samwell Tarly (que ainda não sabe que seu pai e irmão morreram) deverão desempenhar papéis importantes na guerra contra os Caminhantes Brancos. Mas que papel é esse? O que mais o Corvo de Três Olhos pode fazer para ajudar e o que os livros e ensinamentos de Tarly poderão fazer pela guerra?

E é bom não nos esquecermos de Melisandre e Varys, que pouco apareceram nessa temporada e cujos papéis na série são ainda uma incógnita. Talvez suas ações e planos não tenham impacto algum nas tramas da oitava temporada, ou possa ser que eles sejam parte de uma aliança com Tyrion Lannister, difícil saber. Game of Thrones gosta desse clima de mistério e de disfarçar o que acontece para, no final, tentar chocar com alguma virada na narrativa. Mas apesar da temporada instável, o final deixou uma boa impressão sobre o que a série deverá percorrer até o desfecho.

Assista o recap disponibilizado pela HBO:

[Crédito da Imagem de Capa: Divulgação/HBO]

Vinícius Silva
Sou formado em Jornalismo e mestre em Gerenciamento de Negócios Internacionais. O vício em Filmes, Séries e nas Artes em geral me levaram à escrita.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *