Séries

‘Genius’ reconta trajetória de Einstein para conhecer o lado humano por trás do mito

A National Geographic (NatGeo) estreou nesta semana a sua primeira série original, Genius (também disponível no Brasil pelo Fox Play), que reconta a trajetória do mais popular cientista entre todos os cientistas: Albert Einstein (interpretado pelo competente Geoffrey Rush). Mas não se trata de uma série que passeia por seus feitos e suas descobertas. Logo na primeira cena vemos Einstein mantendo relações sexuais com a sua secretária, o que já ajuda a definir o tom mais crítico, pessoal e humano que Genius transmite.

Uma dúvida coloca o espectador para refletir nesta mesma sequência, quando a secretária diz a Einstein “como alguém que entende tanto o Universo e seus cosmos não consegue compreender os seres humanos”? A pergunta fica no ar, mas durante o primeiro episódio o que mais assistimos Einstein fazer é cometer equívocos, demonstrando ser um homem teimoso ao mesmo tempo que revela uma inteligência ímpar desde muito cedo.

[ATENÇÃO: SPOILERS A PARTIR DAQUI]

Dirigida nesse primeiro episódio por Ron Howard (Uma Mente Brilhante), e baseada na biografia Einstein: sua vida, seu universo escrita por Walter Isaacson (também responsável pela biografia de Steve Jobs), a série desde o início se mostra mais interessada em desvendar quem era Albert Einstein como ser humano. Todos nós conhecemos suas descobertas, a Teoria da Relatividade e todo o legado que ele deixou para a ciência mantendo-se sempre à frente do seu tempo. Mas Genius quer ir mais longe: descobrir como Albert se transformou no mito Einstein.

Foto: Divulgação/NatGeo

Transitando entre o casamento conturbado com a sua esposa Elsa (Emily Watson), a relação distante com a ex-mulher Mileva Maric (Samantha Colley) e a escalada do partido nacionalista de Hitler rumo ao poder e a perseguição aos judeus, Genius é centrada nesta fase de Einstein tentando fugir da Alemanha rumo aos Estados Unidos para conseguir exílio (após muita relutância), e a sua fase de jovem idealista e revoltado, interessado apenas em Física e Matemática quando abandonou os estudos em Munique para entrar na politécnica de Zurique a contragosto do seu pai – e sua renúncia à cidadania alemã (ele diz que “o nacionalismo é uma doença infantil”, numa das melhores linhas do roteiro desse episódio) como seu ato de maior revolta naquele momento.

Como não poderia deixar de ser, Geoffrey Rush rouba a maior parte das cenas quando sempre aparece caracterizado como Albert Einstein. Não é somente a semelhança que impressiona, mas também a sua postura que o torna menor do que a altura que aparenta ter e a voz rouca que às vezes nos foge (ou despista) sobre o que de fato ele está falando, uma escolha perfeita para dar vida a esse Einstein mais canastrão. Genius surge com o mesmo formato de antologia que tanto vem dando certo para Ryan Murphy (Feud, American Crime Story e American Horror Story), já renovada inclusive para a 2ª temporada (mas ainda sem ter definido o próximo gênio a ser retratado). E Albert Einstein é a figura perfeita para dar esse ponto de partida.

Assista o trailer de Genius:

[Crédito da Imagem de Capa: Divulgação/NatGeo]

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *