Séries

Homeland encerra uma das suas mais relevantes temporadas

Levando em consideração o desempenho equilibrado que Homeland teve na quinta temporada, o episódio final A False Glimmer é decepcionante, apesar de ser estratégico para o que deverá ser contado na próxima temporada. Isso porque a série novamente precisará encontrar uma nova trama para os seus personagens. Considerando o quão real Homeland conseguiu ser neste ano, isso não será uma tarefa muito difícil.

A quinta temporada marcou a caçada ao Estado Islâmico. Se passando numa cidade europeia, Berlim, Homeland passou por polêmicas (o grafismo de artistas xingando a série) e correu riscos ao tratar de tantos temas como, por exemplo, arquivos confidenciais da operação da CIA na Europa sendo roubados, agente infiltrada trabalhando para o governo russo, relação da imprensa com as agências de segurança (em uma trama relacionada à documentarista Laura Poitras, vencedora do Oscar por Citizenfour), os campos de refugiados que só aumentam e um ataque terrorista iminente numa cidade europeia.

Acompanhando o noticiário recente, vimos que Homeland foi bastante atual. Até pensamos que a série não exibiria nenhum episódio quando aquele ataque terrorista ocorreu em Paris (o capítulo foi exibido no final das contas). Enquanto vemos todos os desdobramentos de suas tramas acontecendo, sabemos que a ameaça que existe hoje não está mais apenas na ficção.

E mesmo tratando de tantos temas, que acabam sendo interligados por essa ameaça terrorista global e o medo com o qual as pessoas vivem enquanto refugiados chegam em números absurdos na Europa fugindo do conflito, Homeland conseguiu ser bem-sucedida nessa quinta temporada também em estabelecer as tentativas fracassadas de seus personagem em levarem uma vida normal. Carrie Mathison bem que tentou: se mudou para Berlim, encontrou um novo amor (Jonas) e foi correr atrás do tempo perdido que o Afeganistão a impusera na temporada passada para, finalmente, ser mãe.

Dramas interessantes que ilustram a preocupação da série em tornar os seus personagens figuras também humanas, ao mesmo tempo que existe uma linha tênue entre aceitar o que eles precisam fazer (por trabalharem na inteligência de uma agência de segurança) ou desistirem dessa vida para viverem normalmente. Sentimos muito pela Carrie, mas acreditamos que isso será impossível para ela sabendo que o canal Showtime já confirmou a sexta temporada em 2016.

Entretanto, ainda nos deixando levar por esse sentido, A False Glimmer é um episódio contundente e inesperado, porque não há como ter qualquer ideia sobre o que acontecerá em seguida. A tensão e a agonia ficaram justamente para o episódio anterior, Our Man In Damascus, quando a iminência de um ataque terrorista movimenta toda a cidade de Berlim para saber com precisão onde vai acontecer.

Ainda que tenha soado como uma decepção e de ter ido na contramão do que foi a quinta temporada, A False Glimmer adota com precisão um tom de cansaço e exaustão. E não é pela história, pois a trama nunca foi tão relevante como agora nesta quinta temporada. Mas é mesmo por ser cansativo combater o terrorismo e igualmente exaustivo viver aterrorizado e preocupado sobre onde será o próximo alvo ou qual o próximo passo que os terroristas darão. Por isso estamos tão curiosos para saber o que vai acontecer com Carrie na sexta temporada e o que Homeland está preparando para os seus personagens enfrentarem.

Quanto a ameaça do Estado Islâmico, ela ainda continua como uma sombra para todo o mundo, cuja imprevisibilidade é justamente o que deixa muita gente com medo. Mas a vida continua. E é isso que Homeland sabe que deve acontecer, enquanto decisões difíceis e importantes precisam ser tomadas.

Crédito da Imagem: Divulgação/Showtime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *