Cinema

Leonardo DiCaprio e O Regresso favoritos ao Oscar; veja os palpites

A cerimônia de entrega do Oscar acontece no próximo domingo (28). Rodeado pela polêmica do “Oscar Branco”, esta será uma premiação interessante de se acompanhar. E não será pelos vencedores, mas sim pelos discursos e pela apresentação de Chris Rock e o que ele vai dizer em seu monólogo de abertura. Existe, sim, uma grande expectativa para isso. Mas, enquanto domingo ainda não chega, é hora de colocarmos os nossos palpites no ar.

Entre os favoritos escolhidos por nós aqui do Trívia, Leonardo DiCaprio, O Regresso e Mad Max: Estrada da Fúria estão na frente. Confira abaixo todos os palpites:

Melhor Filme: O Regresso

Temos cinco filmes que gostamos muito nessa categoria: Mad Max: Estrada da Fúria, A Grande Aposta, O Regresso, Spotlight – Segredos Revelados e O Quarto de Jack. Com excessão desse último citado, a disputa é acirrada entre os outros quatro longas-metragens. Porém, pelos prêmios de sindicatos que conquistou até o momento, O Regresso leva uma pequena vantagem. E também é o nosso escolhido porque é sim um grande filme.

Melhor Diretor: Alejandro González Iñárritu, por O Regresso

Outra categoria difícil porque a escolha envolve decidir entre Iñárritu e George Miller. Tudo dependia do prêmio do Sindicato dos Diretores. Quem ganhasse estaria na frente na corrida. E quem acabou vencendo foi o diretor mexicano, que chega ao Oscar como o favorito para ganhar a estatueta pelo segundo ano consecutivo. Ambos os diretores, Miller e Iñárritu, fizeram um grande trabalho. Não há como negar isso. E qualquer um dos dois que acabar ficando com a estatueta já será mais do que merecido. O diretor Adam McKay, responsável por A Grande Aposta, corre por fora e pode surpreender – assim como Tom McCarthy.

Melhor Ator: Leonardo DiCaprio, por O Regresso

É unânime: esse é o ano do ator Leonardo DiCaprio. Indicado cinco vezes ao prêmio, dessa vez ele é o favorito e a sua vitória é praticamente certa considerando que ele ganhou todos os prêmios que servem de termômetro para o Oscar.

Iñárritu e DiCaprio favoritos para vencerem o Oscar. | Foto: Divulgação
Iñárritu e DiCaprio favoritos para vencerem o Oscar. | Foto: Divulgação

Melhor Atriz: Brie Larson, por O Quarto de Jack

Outra unanimidade é a atriz Brie Larson, que surpreendeu com a sua atuação em O Quarto de Jack – juntamente com o novato Jack Tremblay, que tem roubado a cena em toda premiação que aparece. Larson entrega uma ótima performance em um filme que é emocionante do começo ao fim. Também venceu os principais prêmios pré-Oscar, ou seja, um sinal de que a vitória já é dela.

Melhor Ator Coadjuvante: Sylvester Stallone, por Creed – Nascido para Lutar

Rocky Balboa é, sem dúvida alguma, o personagem da vida de Sylvester Stallone. Muita gente o reconhece por seus trabalhos em Rambo ou até em outros filmes comerciais. Mas ele é o Rocky Balboa. E ele está mais uma vez ótimo no papel, assim como esteve no último filme, lançado em 2006.

Melhor Atriz Coadjuvante: Alicia Vikander, por A Garota Dinamarquesa

Sinceramente, não entendemos muito bem o porquê de Alicia Vikander ter sido indicada na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante. Para nós, ela deveria ser indicada como Melhor Atriz. Talvez os produtores tenham enxergado mais chances dela ganhar nessa categoria. Enfim, a disputa está entre ela e Kate Winslet (Steve Jobs), que venceu o Globo de Ouro. No entanto, Vikander ganhou também prêmios importantes, incluindo o dado pelo Sindicato dos Atores, que é bastante importante nessa corrida pelo Oscar.

"Spotlight - Segredos Revelados" é o principal candidato a vencer como Melhor Roteiro Original | Foto: Divulgação
“Spotlight – Segredos Revelados” é o principal candidato a vencer como Melhor Roteiro Original | Foto: Divulgação

Melhor Roteiro Original: Spotlight – Segredos Revelados

Josh Singer e Tom McCarthy escrevem muito bem a história sobre a reportagem da equipe Spotlight do Boston Globe que desvendou o abuso de crianças causados por padres católicos. É um filme forte e muito importante. Além do elenco, o roteiro é um de seus elementos mais brilhantes. A dupla também venceu o prêmio do Sindicato dos Roteiristas, o que aumenta o favoritismo para levarem o Oscar.

Melhor Roteiro Adaptado: A Grande Aposta

Charles Randolph e Adam McKay captaram muito bem a linguagem de Michael Lewis: rápida, direta e de fácil compreensão. E levaram isso para o cinema no filme A Grande Aposta, que tem justamente essas mesmas características. Algumas passagens são devidamente explicadas, de uma forma bem-humorada e sem causar grande confusão na estrutura narrativa do filme. É um ótimo trabalho, também vencedor do Sindicato dos Roteiristas nessa mesma categoria.

Melhor Fotografia: Emmanuel Lubezki, por O Regresso

Emmanuel Lubezki já tinha sido criativo o suficiente em criar Birdman juntamente com o diretor Alejandro González Iñárritu. E O Regresso é a prova de que a parceria mais uma vez deu muito certo. Filmado em quase a sua totalidade apenas com luz natural, Lubezki tem um trabalho artístico muito importante em O Regresso que ajuda a contar a história ao mostrar o cenário perigoso no qual ela se passa.

"Mad Max: Estrada da Fúria" é o favorito a vencer nas categorias técnicas. | Foto: Reprodução
“Mad Max: Estrada da Fúria” é o favorito a vencer nas categorias técnicas. | Foto: Reprodução

Melhor Figurino: Mad Max – Estrada da Fúria

Essa é uma categoria em que as atenções se dividem entre Cinderella e Mad Max: Estrada da Fúria. Carol tem poucas chances de vencer e corre por fora. Apesar da Academia normalmente premiar as tramas de época nessa categoria, esse ano nos parece que a ousadia de Mad Max: Estrada da Fúria chamará mais atenção.

Melhor Montagem: Mad Max – Estrada da Fúria

Nas categorias consideradas mais técnicas será difícil tirarem os prêmios de Mad Max: Estrada da Fúria. E montagem é um exemplo disso: a sequência inicial, filmada em um modo mais rápido por George Miller como toda a ação do filme, mostra a qualidade do trabalho.

Melhor Maquiagem e Cabelo: Mad Max – Estrada da Fúria

Mais uma vitória de Mad Max: Estrada da Fúria, que é o favorito também nessa categoria.

Melhor Design de Produção: Mad Max: Estrada da Fúria

Ainda não conseguimos nos acostumar em chamar essa categoria de Design de Produção e não de Direção de Arte. Mas dá para entender mais uma vitória de Mad Max: Estrada da Fúria, não é? Ação sem parar, perseguições, tempestade de areia, guitarra que sai fogo e carros extremamente velozes e com aparências únicas. É isso. E é muito bom.

Melhor Trilha Sonora: Ennio Morricone, por Os Oito Odiados

Desde que assistimos a apresentação (veja abaixo) do maestro Ennio Morricone no estúdio Abbey Road, em Londres, a nossa torcida por ele aumentou ainda mais. Não sabemos se ele estará na premiação (o que seria muito legal, mas a idade avançada pode comprometer isso). De qualquer forma, será bacana se ele vencer e Quentin Tarantino receber o prêmio em sua homenagem e fazer um discurso ainda melhor do que aquele no Globo de Ouro desse ano.

Melhor Música: Lady Gaga, por “Til It Happens To You” (The Hunting Ground)

A estatueta nessa categoria está entre Lady Gaga e Sam Smith. Sabemos que o cantor britânico ganhou já prêmios importantes pelo tema de 007 Contra Spectre, mas a música está longe de ser do tamanho de Skyfall, da cantora Adele, que ganhou no ano passado. Nesse caso, apostamos em Lady Gaga e na canção “Til It Happens To You”, composta para o documentário The Hunting Ground, que trata sobre agressão sexual em escolas dos Estados Unidos. E o clipe é tão forte quanto a música. Assista abaixo:

Melhor Edição de Som: Mad Max – Estrada da Fúria

Barulhos de motor V8 e ação o tempo inteiro: mais um (merecido) prêmio para Mad Max: Estrada da Fúria.

Melhor Mixagem de Som: Mad Max: Estrada da Fúria

Guitarra dando a trilha da ação, motores V8, perseguições, tempestades de areia. Nada supera Mad Max: Estrada da Fúria nessas categorias.

Melhor Efeito Visual: Mad Max: Estrada da Fúria

Se Mad Max: Estrada da Fúria é praticamente o favorito a vencer nas outras categorias, nessa existe uma disputa com Star Wars: O Despertar da Força. Mas o filme dirigido por George Miller ainda é o principal candidato.

Melhor Animação: Divertida Mente

Infelizmente, não assistimos todas as animações. Estávamos entusiasmados para ver Anomalisa, mas não estreou por aqui ainda. De qualquer maneira, é muito difícil Divetida Mente não vencer nessa categoria. Desde a sua estreia, em meados do ano passado, já se sabia que esse mais novo filme da Pixar seria um forte concorrente ao Oscar. E isso não é por acaso. Gostamos muito de O Menino e o Mundo, do brasileiro Alê Abreu (leia aqui a entrevista que fizemos com ele), que teve o trabalho reconhecido por essa indicação e pelos prêmios de animação que conquistou em diversos festivais pelo mundo.

Esnobado quando não foi indicado por Senna, Asif Kapadia deve vencer por "Amy". | Foto: Divulgação
Esnobado quando não foi indicado por “Senna”, Asif Kapadia deve vencer por “Amy”. | Foto: Divulgação

Melhor Documentário: Amy

Esnobado no ano passado, quando dirigiu Senna, Asif Kapadia pode finalmente levar a estatueta por Amy, o documentário que conta a trajetória da cantora britânica Amy Winehouse. Quem pode surpreender nessa categoria é o ótimo Cartel Land. Eu não ficaria surpreso se isso acontece, mas Amy ainda é o principal candidato.

Melhor Filme Estrangeiro: O Filho de Saul

Premiado com o grande prêmio do Festival de Cannes em 2015, O Filho de Saul (candidato da Hungria) é o favorito para vencer na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. Talvez o colombiano O Abraço da Serpente, ou mesmo o candidato francês vencedor do Prêmio Goya Cinco Graças possam surpreender, mas é bem difícil que isso aconteça considerando a trajetória de prêmios que esse filme húngaro acumulou.

son-of-saul
“Son of Saul”, candidato da Hungria, é o favorito a levar o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. | Foto: Divulgação

Melhor Curta de Animação: Sanjay’s Super Team

Ficamos em dúvida entre Worlds of Tomorrow e Sanjay’s Super Team. No final, acabamos decidindo pelo segundo pela história humana. Sanjay é uma criança, obcecada por televisão, cartoons, por bonecos action-figures e que está relutante em passar um tempo rezando com o seu pai na Índia. A imaginação criativa e fértil da criança acaba ajudando os dois nesse relacionamento e isso é muito bacana de ver. É o nosso favorito.

Melhor Curta de Documentário: Body Team 12

Premiado no Festival de Cinema de Tribeca, Body Team 12 é um documentário triste e necessário. Mostra o cotidiano de 12 pessoas cujo trabalho é coletar os corpos de pacientes mortos pelo ebola que estão basicamente jogados nas ruas. O curta é baseado na reportagem especial da revista TIME de uma das personalidades do ano escolhidos pela publicação, que são os trabalhadores que combatem o ebola na África Ocidental.

Melhor Curta Live-Action: Ave Maria

Escrito e dirigido por Baasil Khalil, Ave Maria é o favorito a vencer nessa categoria.

Crédito da Imagem: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *