No início do primeiro ato da season finale de Mr. Robot, exibida na última semana, Tyrell Wellick diz a Elliot: “Você só está vendo o que está na sua frente. Não enxerga o que está acima”. É uma forte provocação que faz referência a nós mesmos, o público, para não enxergamos apenas o que é mostrado à nossa frente. E em Mr. Robot essa é uma afirmação que faz todo sentido.

A segunda temporada foi muito diferente do primeiro ano por causa disso. Após o hack e uma trama que andava de forma mais rápida e com mais acontecimentos, Mr. Robot “congelou” a narrativa para estudar Elliot Alderson, um personagem com uma mente perturbada e desequilibrado, sem se dar conta muitas vezes sobre o que acontece ao seu redor.

[ATENÇÃO: SPOILERS A PARTIR DAQUI]

Por acompanharmos a série através da perspectiva de Elliot, é proposital que Sam Esmail (criador de Mr. Robot) nos mantenha quase sempre no escuro, mergulhados na doença de Elliot e em seu pouco senso de realidade. Às vezes dá a impressão de que é Elliot quem está no controle, como o que aconteceu no episódio 6 quando ele sabia que estava preso e nós não, uma jogada que ele usou para nos esconder o que acontecia com ele enquanto prestávamos aconteção nos efeitos do hack (e a série se assemelhando cada vez mais ao filme Clube da Luta).

Foto: Divulgação/USA Network
Foto: Divulgação/USA Network

Mas a season finale mostra justamente que tanto Elliot quanto nós mesmos não temos ideia de nada que está acontecendo, isto é, não temos absoluta certeza sobre os acontecimentos que sucederam antes e depois do hack porque a dupla-personalidade de Elliot mantém a série extremamente volátil. No momento, a E(vil) Corp está tentando se salvar fazendo uma aliança com a China, que vai tirá-la do buraco usando BitCoin. Enquanto a instituição parece ter perdido todos os dados online, os documentos físicos começam a ser transferidos para um prédio em NY que se transforma em alvo dos hackers liderados pelo grupo terrorista Dark Army.

A atuação de Elliot em toda essa operação é um grande enigma – assim como foi o final mesmo da temporada. Culpar o Mr. Robot pelas decisões que ele acredita não ter tomado só comprova o transtorno mental no qual Elliot está imerso. A tal chamada Fase 2 do hack é causar a instabilidade no sistema que criará brechas para o hack se alastrar. Uma operação que começará a custar vidas e deixará de ter o propósito de revolução, que foi a motivação inicial disso tudo.

Aliás, o que é uma revolução? Elliot Alderson e o movimento FSociety acreditaram tanto que estariam liderando uma marcha revolucionária contra uma grande corporação que controla a vida de qualquer um, mas no final o próprio caráter revolucionário se perdeu quando forças antagônicas mais preocupadas com o poder começaram a tomar conta do movimento. Assim, o hack serviu apenas como uma mola propulsora para acelerar determinadas decisões, como o uso de BitCoins por exemplo. Às escuras, quem estava “financiando” isso lucrou dinheiro e ganhou algo ainda mais importante: influência.

Foto: Divulgação/USA Network
Foto: Divulgação/USA Network

Discussões como essas tornaram a segunda temporada de Mr. Robot ainda melhor que no primeiro ano. Foram decisões corajosas (como já escrevi aqui) que elevaram o patamar da série. Por todos os episódios anteriores, esta season finale não poderia de forma alguma cair no lugar comum. E não cai porque Mr. Robot até entrega algumas respostas (Tyrell está vivo!), mas levanta ainda mais questionamentos. Qual o papel de Leon na série? Qual a importância que Angela passará a ter a partir de agora? Trenton e Mobley acharam mesmo um jeito de reverter todo o hack? O que sairá da relação entre Darlene e DiPierro? E, por fim, qual o futuro de Tyrell e, principalmente, de Elliot?

Aparentemente entendemos uma parte do processo deste hack, mas desconhecemos a sua profundidade porque nada em Mr. Robot é entregue de maneira fácil ou simples. É por isso que a série é hoje uma das melhores em exibição e que na 3ª temporada Sam Esmail continue sendo corajoso o suficiente para desafiar os limites de Mr. Robot.

[Crédito da Imagem: Divulgação/USA Network]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *