Sundance 2017: críticos escolhem favorito à próxima temporada de premiações

O festival de Sundance historicamente, além de revelar novos diretores, também é responsável por emplacar filmes para a temporada de premiações. No ano passado, por exemplo, Manchester à Beira-Mar e O Nascimento de uma Nação despontaram como os favoritos. O filme de Kenneth Lonergan continua na corrida até o momento e deverá ser indicado à Melhor Filme ao Oscar (a lista sai no dia 24 de janeiro) e tem o ator Casey Affleck como provável vencedor da estatueta por Melhor Ator. Já O Nascimento de uma Nação, se não fosse pela campanha negativa devido ao caso envolvendo o diretor e roteirista Nate Parker (saiba aqui), é possível que ainda estivéssemos falando sobre o filme, que bateu o recorde de investimento quando foi adquirido pela Fox Searchlight.

Mesmo ainda faltando seis dias para o fim do festival, os críticos já escolheram o filme que deverá figurar nas premiações de 2018. Trata-se do épico Mudbound, novo filme dirigido pela cineasta Dee Rees (que inclusive estreou em Sundance com o aclamado Pariah em 2011, vencedor do Independent Spirit Awards). O seu novo longa-metragem, estrelado por Garret Hedlund (Na Estrada) e Carey Mulligan (cuja carreira decolou também em Sundance, no filme Educação em 2009), acompanha duas famílias vivendo em Mississippi durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando começa o conflito e os Estados Unidos entram de vez na guerra no início dos anos 40, um jovem de cada família (um branco e outro negro) sai por um período prolongado para servir o país. Quando retornam, ambos são pessoas completamente diferentes enquanto que a realidade a qual eles deixaram antes continua a mesma, com a cultura do racismo e da degradação ainda imperando e responsáveis por dividirem a região.

Carey Mulligan é destaque em Mudbound. | Foto: Divulgação/Sundance Institute

Bem recebido por público e crítica, Mudbound chamou atenção instantânea no dia da sua exibição. Uma crítica da Variety, por exemplo, dá destaque para a atuação do elenco e aproveita para comparar o filme com o que é visto em Manchester à Beira-Mar. “Parte do poder de Mudbound vem de duas fortes heroínas e da conexão que elas criam apesar de viverem em uma sociedade segregada”, diz a revista.

O prestigiado portal Indiewire fala sobre a importância que Mudbound poderá ter na corrida pelo Oscar quanto a trazer diversidade para as premiações, uma discussão que se tornou mais e mais essencial para a indústria se manter relevante e atingir audiências maiores. O site também destaca que “essa é uma história feita especialmente para a direção de Rees, que já tratou de uma adolescente negra morando no Brooklyn em busca da descoberta pela sua sexualidade (Pariah) e também pela adaptação Bessie, para a HBO, sobre o artista de Blues Bessie Smith”, publicou o site.

Durante o Q&A que aconteceu após Mudbound ter sido exibido no festival, todos que participaram do filme falaram sobre as ligações pessoais que tiveram com a história à medida que se aprofundaram no projeto. A autora Hillary Jordan disse que seu romance, adaptado para o cinema por Virgil Williams e Dee Rees, é baseado em sua própria família e no contexto o qual eles viveram no Sul dos EUA.

Elenco de Mudbound apresenta o filme no Festival de Sundance. | Foto: Reprodução/Stephen Speckman/Sundance Institute

Já a diretora respondeu mais às questões sobre diversidade. “Eu não sou otimista, mas acho que todo mundo continua a criar e continua trabalhando”, disse ela ao citar recentes produções como a premiada série Atlanta e o prestigiado longa-metragem Estrelas Além do Tempo, que em breve chega aos cinemas brasileiros e deve aparecer na lista de indicados ao Oscar desse ano. “Isso começa a quebrar o mito de que os filmes latinos e negros não vendem no exterior”, concluiu.

Mesmo estando ainda em janeiro, o portal Uproxx acredita que esse é o filme que continuará sendo comentado durante esse e até o ano seguinte. “Dee Rees faz um trabalho notável e os temas de injustiça racial por si só tornariam este filme importante, mas o seu tratamento com a história faz de Mudbound um épico”, escreveu o crítico Mike Ryan.

A conversa agora em Sundance é por quanto os estúdios estarão dispostos a pagar para vencerem a disputa por Mudbound. E isso só iremos descobrir ao longo dessa semana. Mas uma coisa é certa: Mudbound é no momento o filme mais comentado em Park City e favorito para vencer as principais categorias do festival, em cerimônia de encerramento que acontece no domingo (29 de janeiro).

Acompanhe a cobertura do Festival de Sundance 2017.

[Crédito da Imagem de Capa: Divulgação/Sundance Institute]

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *