Séries

'The Americans' volta e promete cumprir ser a série mais relevante do momento

O resultado das eleições nos Estados Unidos no último mês de novembro trouxe um holofote inesperado para a série The Americans. Já reconhecida por sua qualidade, mesmo tendo números de audiência ruins, a série ganhou ainda mais notoriedade pelas estreitas relações do presidente Donald Trump, e seu atual gabinete, com o governo russo e, em especial, com o presidente Vladimir Putin. Para uma série que narra espiões russos infiltrados na sociedade americana e investigando seus segredos de estado, The Americans tornou-se mais relevante do que o esperado.

E o retorno para a quinta temporada da série, com a exibição de um episódio nesta última semana lá nos Estados Unidos, prova que The Americans será de fato a série mais relevante e comentada durante alguns dos próximos meses. Não necessariamente por retratar fatos atuais, mas porque a série atingiu um ponto de maturidade que começa a colocá-la no patamar de outras grandes séries que assistimos nos últimos anos.

[ATENÇÃO: SPOILERS A PARTIR DAQUI]

As consequências do final da quarta temporada ainda estiveram no centro da trama do episódio Amber Waves, o primeiro desse quinto ano. E como The Americans começa a caminhar para o seu final agora que já foi renovada para a sexta e última temporada (com previsão de estreia para 2018), os roteiristas e criadores do programa Joel Fields e Joe Weisberg sabem que os mistérios e os disfarces começarão a ter maior implicância na vida familiar de Elizabeth e Philip Jennings.

Foto: Divulgação/FX

Uma vez que eles decidiram ficar e continuar como espiões, mesmo sabendo que os riscos de serem pegos tornaram-se praticamente iminentes após as falhas na operação que marcaram a temporada passada, a tensão é estabelecida de fato em uma nova missão cujo propósito é justamente apagar os erros que foram cometidos anteriormente e usar a favor deles esta vantagem para continuarem desenvolvendo uma arma biológica. Em uma longa sequência que dura quase dez minutos de puro silêncio, The Americans mostra que esta será uma temporada cuja tensão estará no seu nível mais elevado porque os focos de ameaça estarão em todos os lados.

Isso porque não são apenas os problemas com as operações que recebem que Elizabeth e Philip precisam ficar preocupados e se sentem vulneráveis; há o filho de Philip, Mischa, que voltou da guerra e está na Iugoslávia mas com interesses de viajar para a América à sua procura; a aproximação cada vez maior de Paige e Michael, filho do agente Stan; e todo o contexto das relações diplomáticas conturbadas entre os dois países.

O setor que deixa claro suas diferenças é a agricultura, numa sequência que compara o trabalho moderno do Estados Unidos no campo com todo o contraste da pobreza e falta de inovação do sistema agrário da Rússia. Isso tomará cada vez mais espaço na trama agora que Oleg foi chamado por uma área do governo russo para combater os níveis de corrupção que, para eles, é o que está causando uma grave crise alimentícia no país. Não por acaso vemos, em outro momento, Elizabeth e Philip relembrando os tempos de quando passavam fome na União Soviética antes de irem para os EUA.

Foto: Divulgação/FX

Com a quinta temporada ambientada em 1984, já que mostra o casal Elizabeth e Philip convidando Paige para assistir os jogos olímpicos (realizados em Los Angeles naquele ano), The Americans sabe que chegou até aqui estabelecendo um nível obsessivo de seus protagonistas com segurança e bem-estar, ao mesmo tempo que mostrou as diferenças ideológicas de cada um deles: Philip gosta da América ao contrário de Elizabeth, que acredita na causa. Esse é só mais um foco de tensão e que, sem dúvida alguma, será o principal. A decisão de permanecer nos Estados Unidos não foi de comum acordo e essa é uma disputa que ainda irá eclodir nos Jennings.

A nós, só nos resta assistir e acompanhar a complexa evolução que, assim como foi a Guerra Fria, vai estabelecendo focos de tensão aqui e ali. Há momentos que eles se sentem menos vulneráveis e outros que parecem se encontrar em um beco sem saída. É justamente nesse ambiente claustrofóbico de pressão e insegurança que The Americans se encontra.

[Crédito da Imagem de Capa: Divulgação/FX]

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *