Vida

Wagner Moura participa de campanha contra regulamento do trabalho escravo

Wagner Moura não anda chamando atenção apenas por seu trabalho como ator. Eleito recentemente pela revista Variety como um dos melhores atores de 2015, e sempre engajado nas causas políticas, ele ajudou a barrar nesta semana o avanço da PLS 132, que regulamenta o trabalho escravo no Brasil.

De interesse da bancada ruralista no Congresso, o debate na Comissão de Direitos Humanos (CDH), do qual Wagner Moura participou, conseguiu impedir o avanço do projeto, uma vez que os representantes do agronegócio queriam que a proposta fosse votada em caráter de urgência, mas a pressão feita por setores da sociedade civil fez com que o projeto fosse retirado da pauta.

Wagner Moura explicou no debate que a definição “aqui no Brasil, de trabalho escravo – qualquer sujeito que trabalhe forçado, trabalhe por dívidas, e especialmente, que é o que caracteriza a escravidão moderna, o cara que trabalhe em situação degradante e em jornada exaustiva, essa pessoa é considerada um escravo. E é justamente esses dois pilares da nossa definição que, sorrateiramente, estão sendo retirados na regulamentação da lei”, disse.

Veja o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *