Em ano de seu 150º aniversário, “Alice” ganha musical ‘ópera-rock’ em Londres

O clássico da literatura mundial escrita por Lewis Carroll (cujo nome real era Charles Lutwidge Dogson), ‘Alice no País das Maravilhas completou 150 anos. E muitas homenagens têm sido feitas ao redor do mundo como, por exemplo, uma exposição com raridades que vão desde manuscritos até sessões de fotografias que está no Morgan Museum, em Nova Tork, desde o dia 11 de Outubro.

Já em Londres, o destaque fica para a ‘ópera-rock’ baseada na história escrita por Lewis Carroll. A tão elogiada comédia musical foi criada por Damon Albarn, vocalista do Blur e idealizador do projeto Gorillaz. É quase que uma versão totalmente moderna da história, com imagens digitais, pixels e redes sociais. O mundo surrealista de Lewis Carroll ganhou proporções para o mundo digital de Damon Albarn, que logicamente é bastante influenciado por esse meio.

O espetáculo tem quase duas horas de duração e é intitulado ‘wonder.land’ (percebe que até o título, com um “ponto” no meio e tudo mais, tem um “quê” de digital). Em cartaz desde o final de Novembro no London National Theater (assista o trailer abaixo), o musical já começava a se planejar para ganhos outros palcos. O próximo, por exemplo, marcado para junho de 2016 é o Théâtre du Châtelet, em Paris.

No musical, a história se concentra em Aly, uma adolescente que está em crise com os seus pais e que sofre bullying pelas redes sociais – impossível não achar a trama tão atual. Para escapar desse mundo, ela se conecta com o seu celular a ‘wonder.land’, um mundo virtual que recria o ‘País das Maravilhas’.

O avatar de Aly é justamente Alice, uma garota com características que ela não possui mas que gostaria imensamente de ter. Damon Albarn afirmou que a transferência da história para o mundo virtual “é uma reação ao relacionamento de minha filha com as redes sociais e outras coisas que procura na Internet e que eu ainda não entendo”.

Verdade é que o musical tem recebido críticas muito boas dos jornalistas especializados britânicos – e sabemos o quanto eles também podem ser duros quando querem destruir alguma obra. Bom, se você estiver em Londres ou com alguma viagem planejada à capital londrina, é uma boa oportunidade parar um dia para ver esse musical.

Comemorações no Brasil
Aqui no país não teremos nenhuma exposição como a de Nova York ou um espetáculo grandioso como o de Londres, mas duas publicações chamam atenção e podem impressionar os fãs de ‘Alice no País das Maravilhas’.

A editora Zahar publicou nesse ano ‘Alice: Edição Comemorativa 150 anos’ (R$ 89, 320 págs.), que reúne em um só volume ‘Alice no País das Maravilhas’, ‘Através do Espelho e ‘O Que Alice Encontrou por Lá’ com tradução vencedora do prêmio Jabuti. As ilustrações são da artista plástica Adriana Peliano, que é a presidente da Sociedade Lewis Carroll do Brasil.

Já a caixa ‘Alice+Alice’ (R$ 139,90, 376 págs.), lançada pela editora Cosac Naify, contém também os dois livros. O primeiro com ilustração de Luiz Zerbini, enquanto que o segundo foi ilustrado pela artista Rosângela Rennó.

Confira o trailer de ‘wonder.land’:


Crédito das Imagens: Divulgação

Vinícius Silva
Sou formado em Jornalismo e mestre em Gerenciamento de Negócios Internacionais. O vício em Filmes, Séries e nas Artes em geral me levaram à escrita.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0