‘Finja que NY é uma cidade’ é uma série divertida para você maratonar

Se você não está familiarizado com Fran Lebowitz, não se culpe ainda: ela não publica nenhum livro há quase 30 anos e se mantém longe dos holofotes, apesar de ser bem conhecida e admirada pelos comentários irônicos, reclamações com argumentos bem construídos e inteligência – mas por um público de nicho. Porém, uma vez que você der uma chance e assistir Finja que NY é uma cidade, série documental disponível na Netflix, você logo se tornará obsessivo e sairá procurando qualquer entrevista de Lebowitz, só para prolongar as três horas e meia de diversão, conhecimento e sagacidade que acabou de assistir.

Dirigida por ninguém menos que Martin Scorsese, que dez anos antes lançou seu primeiro trabalho sobre Fran Lebowitz no documentário Public Speaking pela HBO, a série expõe as filosofias de Fran ao longo de sete episódios que passam por diversos temas e histórias. Tudo carregado de humor, tendo Fran e a cidade de Nova York como protagonistas, trazendo à tona experiências que a irritam e a inspiram na mesma proporção.

Uma delas está de cara no título da série: “finja que é uma cidade” é o que Fran Lebowitz grita para os turistas que passeiam por Nova York e se aglomeram nas calçadas enquanto os moradores se viram como podem. Apesar de irritá-la, imagino que em tempos de pandemia deva ser uma das coisas que Fran Lebowitz mais sinta falta. Afinal, sem a permissão de aglomeração, para quem ela vai falar isso?

Essa é só uma das muitas boas histórias que Fran conta em suas conversas com o próprio Scorsese. Ao mesmo tempo, o diretor equilibra os encontros para gravar com a jornalista com outros comentários dados em eventos, palestras e entrevistas a Spike Lee, Alec Baldwin ou Olivia Wilde. Como fica bem claro em Finja que NY é uma cidade, falar não é um problema para Fran. E Martin Scorsese não só reconhece isso, como a deixa opinar sobre tudo o que vem à sua cabeça. Ele sabe que nenhum comentário será feito sem algum bom e inteligente argumento que fará o público também refletir (e muitas vezes rir).

Portanto, a nossa experiência de assistir Finja que NY é uma cidade é a mesma de Martin Scorsese, que está sempre gargalhando das história que Fran conta — uma ótima forma de escapismo do que geralmente vemos na TV. Finja que NY é uma cidade nos transporta para um lugar onde ainda é possível sentir prazer e relaxar sem pensar que o mundo está em colapso.

Vinícius Silva
Jornalista e mestre em Gerenciamento de Negócios Internacionais. É viciado em filmes e séries, e ama discutir sobre isso. Gosta de escutar podcasts e rever filmes de Martin Scorsese.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: