Um problema de ansiedade

Você consegue sentir o peso da ansiedade no peito? Não é como um aperto, é como se o seu peito estivesse vazio ainda que os pulmões estejam respirando. Como se eu tivesse levado um susto e buscasse por ar para me tranquilizar e o peito estivesse gelado com uma sensação de vazio.

Você já sentiu isso? Ultimamente tenho sentido todos os dias desde que fiz uma mudança drástica na minha vida. Não é que minha situação atual seja pior, pelo contrário estou sentindo que tenho mais chances de fazer meus planos darem certo. Mas é que o desconhecido está me fazendo ficar ansiosa, mais do que a instabilidade da minha vida anterior.

Antes eu lidava com a ansiedade apenas quando lembrava do futuro distante porque a minha rotina resolvida me possibilitava prever e resolver os problemas do dia a dia sem grandes contratempos. Agora com a minha rotina mais corrida e ainda não azeitada estou mais suscetível aos erros e por isso o desconhecido do futuro próximo me assusta tanto. Agora minha ansiedade me abraça com frequência e eu não gosto dela.

O que uma pessoa faz nessas situações? Ela faz exercícios, organiza as tarefas do dia numa lista, acorda mais cedo para deixar tudo pronto antes de ir pro trabalho, procura o percurso mais rápido no aplicativo de trânsito… E faz mais o quê? Porque eu já fiz tudo isso e ainda não passou.

Eu tenho uma teoria que as coisas se resolvem sozinhas não importa o esforço que a gente coloque em resolvê-las. Você está esperando uma oportunidade? Não importa quantas pessoas você visite ou mostre o seu projeto, em algum momento da sua vida alguma coisa vai destravar e você vai poder fazer seu projeto dar certo – ou não era para ser. Essa ideia de que quem quer corre atrás e faz é pura balela. Quem quer corre atrás e faz mas pode nunca conseguir decolar.

Então não importa que eu acorde cedo, faça exercícios, organize minhas atividades, etc. As chances de todo meu esforço não dar em nada é que fazem a ansiedade tomar conta de mim todos os dias. Espero que um dia não seja mais assim porque essa quantidade de cortisol no meu corpo está me matando.

Larissa Seixas
Jornalista especialista em Mídias Digitais. Escreve muita publicidade e alguma ficção. Opina pouco sobre uma coisa ou outra. Ama Jane Austen, comédia romântica, torta de chocolate e redes sociais.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: